Práticas Em Um Projeto Hidrossanitário

Quando planejamos um projeto hidrossanitário, visamos um funcionamento ideal de todo o sistema hidráulico e sanitário, assim como um bom custo/beneficio e a redução de eventuais problemas futuros no pluvial por parte de projeto mal desenvolvido.
De modo a desenvolvê-lo, devemos nos conscientizar dos seguintes itens:
1. Análise de interferência com o projeto estrutural
Em algumas situações pode ser necessário atravessar um tubo de esgoto no sentido da espessura da viga, por exemplo. Nesse caso, é primordial que essa informação seja passada ao projetista estrutural para que o cálculo da viga com essa perfuração seja previsto pelo projetista estrutural. Não custa lembrar que essa é uma decisão que não deve ser tomada no momento da execução da edificação, porque pode causar danos imprevistos à estrutura da obra.
2. Escolha correta dos materiais
Considere sempre as resistências à variação de temperatura dos materiais que serão utilizados nas tubulações. A elaboração correta dos cálculos das pressões hidráulicas também precisam atingir os valores mínimos informados na norma ou exigidos pelo fabricante de cada equipamento.
3. Dimensionamento da rede sanitária
É muito importante conceber corretamente o dimensionamento da rede sanitária, considerando os ângulos de curvaturas horizontais, que devem ser de 45º. Já a rede de ventilação deve ser projetada visando sempre a manutenção do nível dos fechos hídricos dos sifões, prática que impede o retorno de odores para o ambiente.
4. Conhecimento das normas de vigilância sanitária
Além de conhecer todos os documentos que são necessários para aprovação do projeto com a prefeitura, o engenheiro deve ter como prática antecipar a documentação que podem levar mais tempo para serem disponibilizadas, como as consultas de viabilidade de fornecimento de água e a viabilidade de ligação de esgoto na rede coletora que depende do órgão responsável por estas áreas, estando com o projeto pronto, deve-se apresentar também os desenhos, o memorial de cálculo, os requerimentos, a ART do profissional e o comprovante de pagamento da taxa de análise.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *